terça-feira, 6 de abril de 2010

Fique por dentro da Lei - Plágio no Artesanato

Anos atrás, não sei exatamente quando...postei esse texto aqui no blog. Hoje venho posta-lo de novo, é em boa hora e para lembrarmos alguns tópicos.

 

Fique por dentro da Lei - Plágio no Artesanato


O nosso dicionário explica que plágio é o ato pelo qual um indivíduo faz crer aos outros, mesmo que por omissão, que um determinado trabalho intelectual é de sua autoria, isto é, assinando-o com o seu nome, sem declarar explicitamente que porção ou porções são pertencentes a determinado autor através de uma referência de rodapé.

Já a Lei nº 9.610/98 defende os direitos autorais, dentre eles, as obras de desenho, pintura, gravura, escultura, litografia e arte cinética, devidamente descritos no inciso VIII, do artigo 7º. Entretanto, não entendo que tal lei se aplique ao artesanato e vou explicar o porque.

O artesanato remete que tal técnica foi ensinada por alguém que aprimorou tal aprendizado, que ensinou para outra pessoa, assim sucessivamente. Isso não é plágio, é transmissão de aprendizado.


Pois bem, quando você está em evento, seja um curso ou feira, e esse evento é destinado ao ensinamento e conseqüente aprendizado de novas técnicas, pressupõe-se que os professores irão ensinar o que sabem para os alunos, sendo que estes que aprenderam irão utilizar essas novas técnicas e reinventá-las, certo? Errado. É freqüente notar pessoas impedindo outras de tirar fotos daquilo que está sendo ensinado, alegando que se trata de plágio. * em cursos sim, mas em venda de kits muitos ateliês vendem o mesmo com a foto do projeto, portanto...a foto já está tirada e revelada para consulta e estudo. Por isso há muitos “tititis” em feiras de artesanato.


Ora, se o professor se propôs a ensinar técnicas artesanais, o objetivo era transmitir conhecimento, e a partir daí, se a pessoa que aprendeu quiser fazer igual, ela pode, porque é artesanato e se ela quiser recriar, reinventar o que aprendeu, pode também, porque é artesanato. * com certeza, caso queria somente ser o único a produzir uma peça, que produza e monte um santuário em casa. Uma vez que ensinou, passou pra frente de lá o vento sopra e espalha para o mundo.


Do mesmo modo, temos que duas pessoas, em extremos opostos, sem nunca terem se conhecido, podem chegar a criar uma técnica semelhante, sem que uma tenha plagiado a outra, porque isso é artesanato.


Enquanto pesquisava sobre esse tema, encontrei um artigo na Internet escrito por Gabriel Perissé, chamado de Plágio Criativo. Nesse artigo, ele fazia uma menção à Carlos Drummond de Andrade que ensinava, ironicamente, que o desenvolvimento da originalidade possui algumas etapas, a primeira das quais é imitar os modelos clássicos, e a última... imitar-se a si mesmo até a morte!


Se levarmos isso para o artesanato, temos que existe sim o plágio criativo com o qual “roubamos” da seara alheia (de autores conhecidos ou não) algo que pode tornar o nosso trabalho mais fértil e promissor, conforme conceitua Gabriel Perissé. * algo que acontece muito, por isso existem tantas coisas “Frank Stein” lindas por aí. Uma mistura de coisas pesquisadas pela internet por exemplo, resulta em uma linda peça. E também entram a montagens dos kits já “editados” por outras pessoas.

Por isso entendo que é muito difícil e muito perigoso conceituar plágio em artesanato.


Por outro lado, é também muito comum atualmente, ver pessoas utilizando fotos e textos de outras pessoas como se fossem seus. Isso, ao contrário do falado inicialmente, não tem nada a ver com artesanato. Ou seja, você pode utilizar a mesma técnica e até fazer um produto semelhante ao de outra pessoa, mas você não pode utilizar um texto ou uma foto do trabalho dessa pessoa, colocando como se fosse sua, pois isso sim é considerado plágio, sujeito às sanções da Lei. * é péssimo, já aconteceu comigo. Você pode fazer o que quiser com o que é seu, pintar, mudar a cor, fazer apostilas o que quiser...mas use a foto da sua arte e não a foto da arte alheia.


Sendo assim, quando você for utilizar texto ou material fotográfico de outra pessoa, faça a referida citação, a fim de evitar plágio e problemas futuros. * isso mesmo, vejo muita pessoa lutando, relutando e brigando por conta de créditos...mas ela mesmo não credita nenhuma fonte que usa...mesmo que seja as 1000 faces de uma peça...deveria dar os créditos das 1000 faces sim.

 

*Eu assumi uma postura não muito legal sabe, para mim pouco interessa quem criou (aliás, interessa sim, quero é mais que essas pessoas criem mais e mais, para eu poder pintar)...eu quero é pintar e vou fazer o que quiser com as minhas madeirinhas, tintas e pincéis. Eu sou “copiadora” nata, copio, faço da cor que eu quero, faço o projeto a minha maneira e só...faço o que eu realmente gosto...que é PINTAR !!! Eu não sei e nem gosto de DESENHAR, portanto vou copiar SIM os projetos criados, copiados, reinventados, remodelados, costurados, reproduzidos...enfim...bora PINTAR !!! E vamos ser feliz, porque espaço tem pra todos e não precisamos ficar nessa guerra de egos, se escondendo atrás de advogados do diabo e não resolvermos os nossos próprios problemas. Infelizmente o que falta é união, e o sucesso afeta muita gente. Por isso que pessoas talentosas sempre são alvos por conta da imensa criatividade que tem em montar os “Franks” pra nós podermos pintar, sempre é massacrada a mesma pessoa, inveja é uma M !


Fonte: www.peterpaiva.com

* Nota: Vanessa Taconelli – é o que penso e não o que é certo ou errado ok ?! É a minha opinião, não precisa concordar, mas opinião é para ser respeitada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário